Minha Primeira Vez: Especial de Natal 1º Conto


   Não é muito fácil superar a perda de um ente querido , ainda mais sendo alguém que a gente conviveu diariamente,e que era o centro da família eu falo da minha avó que aos 85 anos morreu de parada cardíaca em casa, um ser de alma iluminada, que todo natal fazia a ponte entre as famílias , na ceia de natal passávamos todos juntos por sua causa, por querer agradar cada integrante, nos reuníamos ela contava como era passar o natal no interior, mesmo com tanta dificuldades, muitas vezes sem presentes para todos, em volta de uma mesa era onde estava o maior presente, família reunida, essa coisa e tal. Ano passado que ela faleceu ficamos perdidos, porque quando preparávamos a ceia podíamos contar uns com os outros para trazer os quitutes e organizar tudo do jeito que a avó queria, aqui em casa ficamos com dúvidas de quem iria aparecer, alguns tios não davam certezas, outros primos diziam que já tinha onde ir, senti que a família ia se dividir , que não teríamos natais como antes, isso me deixou muito triste , preocupada porque minha filha com 3 anos não tinha visto, ou seja aproveitado  o natal de como vivi, ela era muito apegada a “bisa” como chamava, desejava muito que fosse muito mágico para que ela entendesse que o natal era estar junto de quem a gente ama, essa convivência de pessoas que pensam diferentes mas que se querem bem. Era uma tarefa difícil no dia a dia explicar a ausência da vó, porque ela ficava perguntando “cadê a bisa?” entrava no quarto dela  “onde ela está?” , fiquei imaginando no natal então como seria.
   
  Chegada a época tentamos e insistimos mesmo assim em fazer como sempre fazíamos, mesmo não sabendo a quantidade de pessoas que viessem, compramos as coisas para fazer uma linda ceia, no dia mesmo é aquela correria, dar um tapa em casa enquanto o peru assa, preparar a sobremesa, arrumar a filhota , conferir os últimos detalhes pra ir tomar banho, arrumar cabelo fazer as unhas e maquiagem , isso já era 20:30 quando vi já tinha chegado alguns tios e primos, isso me animou , felizmente esse ano eu consegui segurar o presente da minha pequena para dar somente na meia noite, um ano antes a gente tinha preparado um clima de que o papai Noel tinha deixado o presente, fizemos barulhos com o guizo como se ele tivesse vindo e ido embora, como ela era menor tinha medo do papai Noel aparecer, tem muitas crianças que tem muito medo né. Pois é, faríamos o mesmo quando chegasse a hora. Foi chegando mais gente, cada um trouxe o prato que era sua especialidade e tradição, a mesa foi enchendo, os convidados chegando, mesmo sentindo falta de quem não estava lá o olhar não escondia a saudade, mesmo respondendo a pergunta “como vai?”  com “tudo bem” o coração estava partido. Nessas horas quanto menos detalhe era melhor, o cumprimento era mais demorado, era um abraço mais longo de consolo , de carência.
  
  Nesse entre e sai de pessoas e cumprimentos, eis que escutamos um barulho de guizo, era sinal de que uma surpresa boa estava prestes a acontecer , um tio filho da avó querida , alugou uma roupa de papai Noel para dar presente para as crianças do outro lado da família, aproveitou e veio entregar um presente para minha filhota, ela ficou tão encantada, foi correndo abraçá-lo e eu toda emocionada com a câmera na mão, registrei tudo. Ela procurou com olhar alguém que não estava, foi isso que fez meu coração estremecer. Devo confessar que estávamos todos carentes de colo, ficamos olhando para o papai Noel, não agüentamos  e sentamos no colo dele, até tiramos fotos, foi muito bom.
  
   Na hora da ceia rezamos, lembramos do nascimento do menino Jesus, pedimos que Deus cuidasse bem de nossa vó querida, que nos ajudasse e que nos mantivesse cada vez mais unidos. Não eram apenas palavras, era um desejo, uma saudade, um querer bem!

OBS: Esse conto iria ser usado num livro mas de forma editada, resolvi publicar na íntegra de como eu escrevi para compartilhar meus sentimentos, aguardo o comentário de vocês
OBS²: Terá mais dois contos pessoais, mas quem quiser participar é só mandar um email para natalietevesarroba.com.br ou clicar lá em cima em contato (História, foto e o link do blog se tiver)

3 comentários:

Não é fácil superar a perda de uma pessoa querida, ainda mais se tratando de avó. E quando chega essa época aí que ficamos mais sensíveis e tudo nos faz lembrar aquela pessoa. Mas no final entendemos que Deus é que é o dono da vida e tudo está em suas mãos.
Amei sua história, tenha um ótimo natal e um 2012 abençoado por DEUS.
Beijos no S2.

Desde que a minha bisa partiu com 93 anos, há 10 anos atrás, nunca mais conseguimos juntar a família inteira :(

Em setembro deste ano conseguimos reunir mais ou menos 50% do povo...mas acho que nunca mais conseguiremos juntar todos...fico feliz de ver que vocês superaram tudo isso juntos :)

Oi linda adorei blog!!!
seguindo ...
segue o meu tbem?
bjim

dalilamakeup.blogspot.com

Postar um comentário

Saindo sem comentar,que que isso , sou só ouvidos!!
Para divulgar sorteios, blogs e promos é só clicar em PROMOÇÕES!
Para ter respostas mais "rápidezzz" ou se for urgentaço, podem nos encontrar no (TWITTER) @CoisasdeNatalie e @Hestiazinha.
Mas saibam que adoramos os recadinhos.
Vocês são de casa, pode falar sem cerimônia!
Fique à vontade. Obrigada.Beijokinhasss

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Powered by Coisas de Natalie | Proibida reprodução total ou parcial.